quinta-feira, 31 de março de 2011

Sobre a manhã do dia 31




A manhã de hoje iniciou-se com a palavra da vez, MOBILIZAÇÃO. Após concentração no Restaurante Universitário, os estudantes passaram em sala para explicarem aos companheiros que ainda não estavam a par da situação, o que de fato estava acontecendo, para melhor compreensão e adesão à causa. Além disso, convidaram toda categoria estudantil para participarem de um ato de protesto em frente a reitoria.


O fruto dessa ação foi uma reunião marcada para agora a tarde às 16h no Restaurante Universitário, que está acontecendo neste momento com estudantes, o vice-reitor  José Luiz Rech e diversos pró reitores da universidade. Para que esta reunião funcionasse da melhor forma e atendesse às necessidades dos estudantes, ainda pela manhã foram tirados os pontos de reivindicação que estão sendo discutidos, a chamada pauta interna. Dentre eles estão:

  • Preços abusivos e comida de má qualidade das lanchonetes e no restaurante universitário 
  • Melhores condições na residência estudantil e pela reformulação, com participação dos estudantes, do seu edital
  • Pagamento em dia das bolsas de auxílio, monitoria, pesquisa e extensão 
  • Transparência acerca da administração do orçamento da universidade 
  • Construção de salas de aula e laboratórios que atendam à demanda estudantil 
  • Diminuição do preço abusivo da xerox 
  • Melhores condições de acessibilidade e de infra-estrutura para os estudantes portadores de necessidades especiais
A LUTA NÃO PARA, ESTUDANTADA. 


PROGRAMAÇÃO DE HOJE EM VITÓRIA DA CONQUISTA: 


13:30: PASSAGEM NAS SALAS DE AULA PARA MOBILIZAÇÃO
16:00 REUNIÃO COM O VICE-REITOR NO R.U

CONVOCATÓRIA!!

Convocamos a todos a participarem da mobilização que acontecerá amanhã, na ponte de acesso à UESB, a partir das 6 e meia da manhã. Convocamos também os alunos à comparecerem no Luizão às 13 e 30, para passar de sala em sala mobilizando os alunos do período da tarde.

Desdobramentos da mobilização do dia 31/03

Os alunos do campus de Vitória da Conquista realizaram hoje( 31/03) um ato de protesto dentro da reitoria, por volta das 10:30 da manhã . Mais de 200 alunos  se reuniram a fim de conseguir manter contato com o reitor e expor suas reivindicações. No momento do ato nem o reitor, o vice-reitor e nem a prefeita de Campus estavam presentes. O único responsável que se manifestou foi o Pró-reitor de extensão Fábio Felix, o qual informou a presença do vice-reitor a partir da 16 horas na universidade.

Em seguida, os alunos foram para o restaurante universitário(RU), onde foi realizada uma Assembléia geral no intuito de se discutir os ponto de pauta do movimento estudantil. Deliberou-se uma renião de todos os discentes com o vice-reitor às 16 horas no próprio R.U. A intenção é levar as pautas ali discutidas para o conhecimento do reitor Paulo Roberto.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Atividades da Semana


Nós, estudantes da UESB, campi de Vitória da Conquista, voltamos a nos reunir na tarde de hoje. Intervenções artísticas e gritos de lutas tomaram conta da Praça 9 de novembro, no centro da cidade. Assim, as pautas defendidas pelo movimento foram compartilhadas com a comunidade conquistense.

Caminhada noturna da terça (29)
Em Salvador, houve manifestação do movimento docente das universidades estaduais, também contra o decreto 12.583/11. A informação que se tem é que os professores e alunos, também presentes, conseguiram uma Audiência Pública com o governo.

O contato entre os representantes estudantis da UESB de Jequié, Itapetinga e Vitória da Conquista, estabelecido durante a paralisação em Salvador, despertou a necessidade de uma Assembléia Geral. Esta será realizada em Vitória da Conquista, na manhã da próxima sexta (01).

Amanhã, quinta-feira(31), a mobilização em Conquista será interna. Com o objetivo de conscientizar mais estudantes para o movimento, nos concentraremos às 7 horas da manhã no Restaurante Universitário (R.U)

Vamos amigo, lute!

Nota dos Estudantes da Uesb


No dia 29 de março de 2011, nós, estudantes de diversos cursos da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, fomos às ruas para mostrar nossa indignação com a situação em que se encontra a universidade pública. Fizemos manifestações durante todo o dia, paralisando as atividades acadêmicas da universidade em todos os turnos e marchando pela avenida Olívia Flores, além de realizarmos assembleias para decidir os rumos da nossa organização. A manifestação contou com a participação de mais de 300 estudantes. Os estudantes dos campi de Itapetinga e Jequié também estão mobilizados e paralisaram a universidade nesse mesmo dia. Além da nossa pauta histórica por assistência estudantil e por melhores condições estruturais e administrativas na universidade, reivindicamos contra a atual política educacional do Governo do Estado.

Em 09 de fevereiro deste ano, o Governo da Bahia editou o decreto 12.583/11 e, pouco tempo após, a Portaria 001 que o regulamenta. Cortando verbas para as empresas públicas, o decreto impede a contratação de professores substitutos (impedindo a saída dos professores para qualificação) e a mudança de regime de trabalho de professores para Dedicação Exclusiva (diminuindo a disponibilidade de professores para a pesquisa e extensão). Além disso, corta gastos com água, energia, xerox, cursos, seminários, capacitação e treinamento dos servidores públicos, telefone, assinatura de revistas e jornais, ônibus e demais veículos da universidade. Tais contenções chegam a 30%!!! Essas disposições irão piorar ainda mais as condições já precárias das universidades baianas, além de ferir a autonomia universitária. Isso demonstra qual lugar ocupa a educação no rol de prioridades do governo, e qual o projeto de educação ele implementa – o de total esfacelamento da universidade pública.
Diante disso, nossas reivindicações são:

  • Pela revogação imediata do decreto 12.583/11
  • Contra o aumento da tarifa de ônibus e pela melhoria dos serviços de transporte
  • Contra os preços abusivos e a comida de má qualidade das lanchonetes e do restaurante universitário 
  • Por melhores condições na residência estudantil e pela reformulação, com participação dos estudantes, do seu edital que, por excesso de burocracia, impede o acesso aos estudantes
  • Pelo pagamento em dia das bolsas de auxílio, monitoria, pesquisa e extensão 
  • Pela transparência acerca da administração do orçamento da universidade 
  • Pela criação e manutenção de projetos de pesquisa e extensão 
  • Pela construção de salas de aula e laboratórios que atendam à demanda estudantil 
  • Pela regularização do quadro de professores (atualmente faltam 46 professores) e contratação de mais docentes
  • Pela diminuição do preço abusivo da xerox 
  • Por melhores condições de acessibilidade e de infra-estrutura para os estudantes portadores de necessidades especiais
  •  Pelo aumento imediato do número de livros da biblioteca 


Em defesa de uma universidade pública, gratuita e de qualidade, contra o seu sucateamento e terceirização dos seus serviços!!!

terça-feira, 29 de março de 2011

A mobilização continua

     Após fechar os portões durante os três turnos no dia 29 de março os  estudantes da UESB (campus de Vitória da Conquista) continuam  mobilizados. 
 Amanhã (30/03 quarta-feira), ocorrerá uma intervenção política/artística/cultural na praça 09 de Novembro as 16 hs objetivando a divulgação do movimento para a comunidade.

    Todos estão convocados para compor esta intervenção contra o ataque a autonomia universitária e a declaração explicita do Governo Wagner de seu descompromisso com a educação.

Manifesto do dia 29/03 (Vídeos)

video video

Manifesto do dia 29/03 (Novas Imagens)








Estudantes da UESB, paralisam os três campi.

Deliberações da Assembléia Geral dos estudantes

  Em Assembléia geral dos estudantes da UESB, ocorrida no Restaurante Universitário, e que contou com a participação de 140 estudantes, deliberou-se pela continuidade das manifestações.

 Às 12 horas os portões serão novamente fechados, e em seguida às 15 horas, ocorrerá nova Assembléia no RU, para deliberar os rumos do movimento.

É importante lembrar que tais manifestações têm por objetivo denunciar as condições precárias em que se encontra a universidade e o ensino público.

Manifesto do dia 29/03

Principais reivindicações:
  • Revogação do decreto 12.583/11;
  • Melhoria da qualidade do ensino;
  • Contratação de professores;
  • Melhorias na estrutura física da universidade;
  • Mais livros na biblioteca;
  • Melhores estruturas para os laboratórios;
  • Um projeto de assistência estudantil construído com os alunos